jogar ao quem per|segue quem…

muito da excitação do enamoramento passa pelo “jogo de caça ao outro”, jogado com mestria na troca de papéis e na dissimulação. é a arte do “ilude-me” que eu gosto e do provoca-me com o teu engodo que eu aperto-te com gosto. é interessante esta confusão (sub)consciente de papéis, com a presa desejando no seu intimo entregar-se como prémio e o caçador a querer bem longe o final da caçada. é o jogo do fujo de ti e vou esconder-me muito bem, mas mesmo ali onde desejo(-te) e me poderás encontrar …

É delicioso e para qualquer idade; recomenda-se ser jogado com frequência nas tardes de não ter nada para fazer e nas manhãs de todos os outros dias. Só não o devemos deixar na prateleira ou corremos o risco de lá ficar também uma parte de nós escondida no pó…

…ide jogar!

Anúncios